quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

De mudança, de novo.

Oi seus puto eu cheguei dos Estados Unidos e já tô saindo de novo.


É, eu sei que eu esqueci de apagar a luz ao sair, não me lembra disso não Jana.

Daí que eu joguei meu nome do google porque desde que eu cheguei no Brasil eu não tenho nada pra fazer. Vagabunda desempregada que perdeu o vestibular por causa da viagem e agora tem de esperar o próximo ano. Por que cês acham que o blog voltou? (mentira, ele nunca volta). Então, aí pelo meu nome apareceu uma foto familiar (dã) lá. Porque assim, vocês lembram desse post né? Depois disso eu passei uns 3 anos na mesma casa o que foi, minha gente, um recorde. Vamos ver quantos eu vou passar na próxima.

Eu quero dizer pro lindo que veio todo creepy falar comigo na Supercon que você me assustou viu colega? Eu fiquei com a sensação que você tava watching me all the time então meu cosplay se transformou em MENINA DE SEIFUKU CORRENDO DESESPERADA OLHANDO PRA TRÁS TODO TEMPO PELO EVENTO. Obrigada.

É gente, eu ainda faço cosplay. Mas nem é de Hermione hentai ok. PORRA, aquele momento que voce percebe que seus leitores antigos MORRERAM e ninguem vai entender as piadas internas daqui mais. Preciso dos meus leitores. Voltem, voltem. Tenho cookies. E tem o cookie do Luke também.

Enfim, eu só passei aqui pra falar que dessa vez a mudança é hardcore, eu tenho quatro vezes mais livros e dez vezes menos espaço. Gente, se eu sobreviver, me cumprimentem na proxima Supercon. Eu juro que não vou me importar. (Só não ponha a mão no meu ombro e diga com sorriso de pedofilo 'eu seeeeei quem é você! A beeeeee do ato ou efeitoooooooo~ a menina do hentaiiiiiii~'

Porque eu vou correr.

sábado, 6 de agosto de 2011

Monólogo


Porque eu sou retardada e fico decorando falas de filmes pra depois passar comigo mesma.


hkgjahgkas a parte dos erros é a melhor, mas eu não posto nem fudendo.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Cursed Circus

Aries, o carneiro irlandês, irmão deCapricornus, a cabra do mar e Taurus, o touro. Gemini, as gêmeas sempre unidas, sempre em briga. Cancer, o menino caranguejo. Leo, o corajoso leão. Virgo, a virgem do círculo de fogo. Libra, a balança, a equilibrista que desafia a morte. Scorpius, o escorpião, o guardião. Sagittarius, o arqueiro.Aquarius, aquário, o portador da água, aquele das profundezas, e seu irmão, Pisces, o homem peixe.

Doze casas sobre rodas, coloridas e enfeitadas, levadas por fortes cavalos colina acima, ladeira abaixo, para as montanhas e além. Para a praça central da sua cidade. Em cada carroça uma pessoa e muitos sonhos, esperanças, medos e segredos. À frente Ophiuchus, o Serpentário. A maior carroça, a mais sóbria, e única que combina com a tormenta que cerca a comitiva. Raios, trovões, chuva, as pesadas patas dos cavalos afundando na lama inclemente.

Não podem parar. O condutor da carroça do Serpentário sabe que não se deve quebrar um contrato com aquele homem. Ele, assim como todos os seus empregados, amigos - irmãos - lhe devem um favor. E quando mais cedo tal débito for pago, mais cedo poderão dormir em paz.

***

O vilarejo escondia-se sob o céu escuro. A madrugada se aproximava e a tempestade também. Quase todas as pessoas já estavam refugiadas em suas casas, aquecidas por suas lareiras, enroladas em cobertores e tomando alguma bebida quente.


O vento forte fazia as janelas entortadas pelo tempo e ressecadas pelo sol rangerem sob sua força. As gotas começaram a cair com força contra os vidros das casas e sobre os telhados causando um barulho tremendo. Eles estavam anunciando sua chegada. Aquela era a cidade escolhida.

Muito velho, achei num blog meu mais velho ainda. Obrigada Aa pela ajuda.

Hoshiakari

So this is dying.

It’s very frantic: people are screaming, lights are flashing, and I think I can even hear a car horn in the distance.
I suppose I’ve caused quite a scene.

I didn’t mean to, of course. Very few people mean to get hit by a truck. I’ll admit that it wasn’t a good idea to cross the busiest street in town without so much as a glance to the left or right – but it wasn’t really an idea at all. It was more of a compulsion. I’m not sure what made me step into the street at that precise moment. Something inside me just wanted to be on the other side.

I wasn’t exactly thinking straight. How could I be? Given the state I was in, looking up, taking in my surroundings – it would have been asking a lot. I had my eyes to the ground, and all I could think about was you.

I wonder if this counts as dying for you. I guess it doesn’t matter. You’ll never know that the only reason I didn’t see the truck coming – the only reason I’m now lying in a steadily growing pool of my own blood – was that my mind was overloaded with thoughts of you. I always wanted to prove that I would do anything for you. But you never gave me the chance.

I would have chased after you. I know you didn’t want me to – you said so in your letter – but I would have done it anyway. I wasn’t ready to let you go.

I’ve never told anyone this, but I knew you were the one ever since the day I met you. It’s hard to believe, I know – we were only five, after all. You were sitting on your front porch, a ragged old Barbie hanging from your left hand, watching my family move into the house next door. My mom told me to go say hello; and in that moment, you became the spark that got my life going.

You and I had so many plans. We were going to help all those poor, skinny kids in faraway countries whose pictures we saw on billboards; we were going to end the wars that we heard about on the news every night. I remember all the hours we spent sitting around on your back patio, talking about how we would one day save the world. But as it turned out, we couldn’t even save ourselves.

I wonder what will happen to you now. I know you ran off because things at home just got too bad to handle. But I think I know where you’re headed – and if I’m right, then the place you’re running to isn’t that much better than what you’re running from.

Your dad may not have known what to do with you after your mom died, and I may not have known how to help you through the pain, but we both still love you. Those people you’ve gotten yourself tangled up with – they couldn’t care less about you, no matter what they say. I’ve known it all along, and I tried to show it to you, but I guess I had the wrong approach. The harder I tried to hold onto you, the more you slipped away. Until finally, you just left.

I have to say, the note you left me was abominably short. In fact, I counted the words: there were ten. I loved you for fifteen years, and you tried to say goodbye to me in ten words. If you were here, I’d give you a lot more than that, and I’m bleeding to death.

Come to think of it, I’m not sure what I would say if you were here. Maybe I wouldn’t be able to say anything: it might be too painful to speak; the noise around us might be so loud that you wouldn’t even hear; and I probably wouldn’t have much time, anyway. These moments seem to last an eternity, but in reality, I’ll bet it only takes me about a minute to die.

And at the very end of that minute – as frightened people crowd around me, and the sound of sirens tears through the night, and all that pain just turns to numbness – I can’t help but feel calm. Because I’m not thinking about all the people I’m leaving behind, or all the plans I never got to follow through on. I’m not thinking about all the regret. I’m not even thinking about those ten words that broke my heart and sent me wandering aimlessly through the streets tonight.

For some reason, all I can do is stare up at the sky, and think how the stars look just the same as they did years ago, when you and I were much younger, and we would stay out in your backyard until well after the sun went down. I remember one night – when we were nine, or eight, or maybe only seven years old – we were lying next to each other in the grass, gazing up at the infinite sky, and you turned to me and asked, “Does a star’s light ever go out?”

Trollin morning

Oi.


15 anos é uma idade bonita.

16 dias

Ando tendo uma vontade terrível de voltar com o blog ultimamente. Acreditem. Aí eu lembro que em duas semanas eu não estarei mais aqui e vai ser impossível continuar escrevendo pra vocês, por isso nem começo.


Passei a dar uma lida em uns blogs aleatórios que não estava na minha panelinha from 2007 e notei como o lixo incrível e seus companheiros da ~blogosfera são rasos e vazios. NÃO, EU NÃO VOU COMEÇAR A FALAR DE MACHADO DE ASSIS E ANÁLISES PSICOLÓGICAS PELO AMOR DE DEUS VOCE ENTENDEU ERRADO. Não levo jeito pra isso, é só que tipo, eu cheguei a escrever um post aqui discutindo se a sailor júpiter fazia chapinha ou não. wtf.

Blogs de pessoas observadoras me divertem. Na verdade, pessoas observadoras que sabem falar sobre o que observam (?) me divertem. É mó legalzudo chegar assim e ler um texto de 45 parágrafos longos sobre o comportamento humano numa fila pra comprar água num evento abarrotado de otaku retardado pra chegar lá e não ter água porra que escroto deveriam ter colocado uma placa tipo esgotado sei lá, enfim perdi o fio do pensamento. Eu não sei se eu sou observadora ou não, eu creio que sim. Mas aí é que tá, eu não SEI falar ou escrever sobre o que eu noto (?????). Confuso, é. Mas vocês que tão aqui há tanto tempo quanto eu sabem que eu sou toda confusa então, calados.

Eu não sei se isso conta como observação mas os primeiros 40 segundos que eu falo com uma pessoa geralmente me dizem quem ela é. SÉRIO. Primeiros dias de aula não mentem: chega aquele novato pra falar e quando ele sai eu digo 'não presta' ou 'odiei' e as pessoas ficam "awnnnnn por que sua bizarra? super simpático você nem tem motivo pra não gostar!". Três meses depois eles viram pra mim e dizem 'é, contigo. não suporto fulano'. A questão é, por que as pessoas demoram tanto tempo pra notar essas coisas e eu não? SUPER PODERES EU SEMPRE SOUBE BEIJO MÃE BEIJO BIAU VOU COSTURAR MINHA FANTASIA AGORA VOLTO RAPIDAO.

Tipo, dia desses eu conheci um piá amigo de um amigo meu e ele passou no teste dos 40 segundos. E ele não fez nada pra passar. Sério, quando eu digo NADA é NADA mesmo. Ok que ele ficou emo excluído no canto do sofá o tempo todo e nem falou comigo além de "é" ou "HAHAHAHKSGD *para de rir de repente e começa a se repreender internamente por ter feito algo tão estrambolico*" toda vez que eu fazia um piada forçada. Então. Até aí de bowa ai você me pergunta ~sim bee, o que é que tem demais?~ Não sei. Mas eu gostei dele, senti nos 40 segundos que era uma pessoa legal que se entenderia comigo. Mentira, eu só simpatizei porque eu gosto de todo mundo que ri das minhas piadas hehe.

Aí mês passado a gente foi pra um evento de três dias e olha, eu 'tava certa. Ele é legal e eu sou foda porque eu já sabia disso em 40 segundos.

Mas o piá é stalker Brasil, ele sabia meu SIGNO e eu não. SIGNO. QUE HOMEM NESSE MUNDO SABE O SIGNO DOS OUTROS????

Isso quer dizer que eu passei no teste dos 40 segundos dele?



Pra quem aí não tem powerful skills em stalking, meu signo é Câncer. COM ASCENDENTE EM PEIXES.

ps: eu adoro a palavra estrambólico.

terça-feira, 19 de julho de 2011

WATASHI YAKISSOBA


DEZEMBRO DE 2007 AQUI NO LIXO É ANIME PRA TODO LADO. ORRÃN.


Esses otakus, tsc tsc.


Então

Como eu me sinto muito afastada de todo mundo (alguém aqui?) eu vou fazer uma listinha de coisas que eu fiz nos últimos 3 anos em que fiquei longe do lixo.


Agora eu estou no terceiro ano (estava, saí da escola porque vou pros EUA mês que vem e tô fucking desesperada com isso). Lembra que eu estudava pro ITA? Tipo muito hard? Então eu abandonei essa vida de ciências exatas. Eu tenho uma facilidade imensa com essa área, eu sei, mas me falta paciência e motivação pra estudar física aqui no Brasil (quem custeia pesquisa aqui? vou virar professora?), mas eu nunca contei pra ninguém aqui que eu tenho uma facilidade no mesmo nível com história e geografia, acho que deve ser possível ser tipo bom em exatas e humanas ao mesmo tempo então. Eu passei a odiar biologia a partir do primeiro ano. Pense numa matéria/área chata. Eu não voltei pro curso de alemão, mas ainda falo bem. Amanhã sai meu resultado da universidade de Cambridge e torçam pra eu passar porque aí eu já tenho meu primeiro emprego. DINHEIRO, OBA. Cultura Inglesa aí vou eu.

Eu virei melhor amiga de uma pessoa que eu odiava e foi uma das melhores coisas que me aconteceram esse ano. Eu queimei o pé dele mês passado e ele ainda não recebeu alta. Mas anyway. O amor é violento mesmo, né?

Esse ano um monstro que não me atormentava há muito tempo voltou a me assombrar, mas isso não é coisa pra se falar aqui no blog.

Eu aprendi a ler em Hangul (alfabeto das Coréias).

Eu aprendi 7 novos modelos de kusudama (origami modular).

Deixei o cabelo crescer de novo e agora ele tá numa cor normal. Tipo castanho. Sinto falta do cabelo colorido mas não posso pintar agora por causa da viagem.

Ano passado eu passei em design na UFPE com nota pra entrar em arquitetura (era a mesma prova os dois cursos), passei em 3º em engenharia ambiental na UFRPE e em 4º em engenharia de produção no IFPE. Mas no fim de tudo eu acho que vou fazer vestibular pra humanas.

E entre a criação do blog em 2007 e meus recém 17 anos eu só reconheço em mim o mesmo sarcasmo e ironia de sempre.

E vocês, mudaram?

HTTP-417 Expectation Failed

Eu sempre volto aqui no lixo pra reler minhas postagens. É inevitável.


Assim como de vez em quando eu volto a ouvir músicas aleatórias de bandas que eu me envergonho de assumir que fui fã um dia, eu quase toda semana passo aqui no lixo e faço o log in. Passo meia hora encarando uma página de nova postagem mas no fim de tudo desisto porque eu simplesmente não sei o que falar. Na maioria das vezes eu até tenho um tema, mas eu não sei como abordá-lo. Acontece que meus leitores cresceram (acredito eu) e mais ninguém aqui tem 13 anos querendo ler alguma zoação idiota sobre como trollar num supermercado ou cair pela 9876543ª vez na pegadinha do cosplay hentai da bee.

Eu realmente sinto falta das pessoas que liam isso aqui assiduamente. Das piadinhas internas, dos apelidos. Das trolladas em conversas com 767553 participantes na mesma janela do msn. Do Luke, da Duda, do Rapha, do pessoal do Ato ou Efeito (que acabou, buuut... Theo (sem acento), Bel, Black, Piratão), da Janão, do Alk, do Aa. Tanta gente que que nem deve lembrar de mim ou de tudo isso aqui. Metade das pessoas sumiram. Na verdade, acho que eu que me afastei. Trocando nomes nas redes, excluindo perfis. Eu acabei me isolando do mundinho legal que eu tinha criado. Me desmotiva voltar aqui e escrever pro nada.

Voltamos pro começo do lixo, onde as 8 visitas diárias se resumem a 6 do google em busca de hentai, um leitor antigo das trevas que não se manifesta e eu mesma.